Alpinismo e escalada em Portugal

Se há uma actividade física que nos ajuda a conhecer os nossos limites, a curar vertigens e a manter uma excelente forma física é a de montanha. Quer falemos de escalada ou alpinismo, uma coisa é certa: há que ter uma boa condição física para a prática!

Conceptualmente, tanto o alpinismo como a escalada diferem do montanhismo. Este está relacionado com actividades de marcha no que se chama “média montanha” (i.e., até aproximadamente 2500 metros de altitude), e em geral não são necessários equipamentos específicos à prática.

Em termos da diferença entre alpinismo e escalada: o alpinismo requer equipamento específico (piolet, mosquetões, cordas, etc.) e pratica-se em alta montanha (acima dos 2500 metros). Na maioria dos casos é necessária a presença de um guia de montanha, frequentemente denominado por “top-rope” ou “primeiro de cordada”.

Quanto à escalada, tanto pode ser em alta montanha como no próprio sopé, uma vez que actualmente existem paredes artificiais para a modalidade e que podem ser colocadas na maioria dos recintos (ginásios, ringues, pavilhões desportivos, parques, etc.).

Conheçamos algumas das zonas e lugares mais recomendados para alpinismo e escalada em Portugal. Na região Norte do país destacam-se os picos de granito do Parque Nacional da Peneda-Gerês, um local de referência para qualquer alpinista. No entanto, há mais lugares para descobrir, tais como:

São actividades que o nosso corpo e mente nos agradecem. Se nunca praticou nem escalada nem alpinismo, a nossa recomendação é procurar alguma entidade profissional que o/a possa instruir adequadamente. Se alguma vez praticou ou é praticante, então partilhe a experiência, recomendações e outras sugestões para quem o considera, nos comentários abaixo!

3 thoughts on “Alpinismo e escalada em Portugal

  1. Carla Felício

    Portas de Almourão – Escalada – Proença-a-Nova

    NOVO sector – Lagoa Verde

    6+ encontro – 19 e 20 de outubro de 2013
    Programa:
    19 – sábado
    9h00 – Concentração em Sobral Fernando
    Abertura do sector Lagoa Verde
    20h00 – Jantar Convívio

    20 – domingo
    10h00 – Workshop de iniciação à escalada em Portas de Almourão, Sobral Fernando
    00h00 – Encerramento do encontro

    Inscrições até dia 17 de Outubro pelo e-mail: zepataleno@hotmail.com

  2. Maria B.

    O meu conselho é: antes de se meterem no alpinismo ou montanhismo, garantam:
    – Que tenham emprego digno razoável porque o equipamento de montanha assim como as saídas de montanha (transporte+combustível) tem custos. Salários mínimos não chega, e muito menos se se estiver em riscos de perder o trabalho, ou no desemprego.
    – Que vivem perto de um local (ou num país) onde se possa aceder facilmente a essas actividades.
    Isto é o mais importante a ter em conta antes de se deixar levar pela paixão e fascínio saudável do montanhismo.
    É preciso ter algum dinheiro para poder sentir o ar fresco da montanha.
    É preciso dinheiro para colocar uns crampons e sentir o desafio do gelo.
    É preciso dinheiro para sorrir á beira de um lago glaciar ou respirar o ar das alturas.
    Dinheiro – a palavra chave é dinheiro.
    Porque até uma simples ida de Lisboa a Serra da estrela pode custar muito para quem não tem qualquer rendimento.
    Dinheiro. A palavra mais importante a ter em conta antes de se meter num curso de montanhismo e mais tarde, sem emprego, sentir a dor e a saudade, fechados no betão da cidade sem fim.
    Eu já passei por isso e sei. Quando perdi o meu rendimento e nunca mais encontrei um emprego á altura, nem em Portugal nem em áreas de montanha no estrangeiro, e nunca mais pude dedicar-me ao montanhismo, o meu coração despedaçou-se e nunca mais se voltou a recompor.
    Alpinismo, montanhismo e escalada são estados de alma, de sentir e de ser.
    Mas não existem sem dinheiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *