Category Archives: Roteiro

ÉVORA: A CAPITAL MEGALÍTICA IBÉRICA

Visitar Évora é mergulhar na história de civilizações que passaram por esta cidade alentejana património da humanidade. Uma das principais atrações de Évora é a vasta quantidade de registos megalíticos existentes na região. Mas os grandes engodos desta cidade alentejana são suas gentes hospitaleiras, o artesanato típico, a rica gastronomia, as tradições, os cheiros e sabores que caracterizam esta bela região que está à espera à sua espera para o surpreender.

evora calle

Cromeleque dos Almendres o maior da península ibérica

O famoso Cromeleque dos Almendres é o maior conjunto de menires estruturados da Península Ibérica e um dos mais importantes da Europa não apenas pelas suas dimensões, como também pelo seu estado de conservação. Encontra-se a cerca de 13 quilómetros da cidade de Évora, no Alentejo, a Sul de Portugal.

É um grande chamariz desta cidade pela sua antiguidade e pelo ambiente pré-histórico que se sente assim que se vislumbra este monumento.

Só no distrito de Évora, conhecem-se, atualmente, mais de uma dezena de locais megalíticos, quase uma centena de menires isolados, perto de oitocentas antas e cerca de quatrocentos e cinquenta povoados “megalíticos”. É uma cidade em que cada canto respira história e onde conseguimos imaginar como viveram os nossos antepassados.

Barragem do Alqueva, um santuário rupestre

Existem ainda alguns raros exemplares de monumentos aparentados, os tholoi, e, na área da Barragem do Alqueva, foi recentemente descoberto um extraordinário santuário de arte rupestre, atualmente submerso. A Barragem de Alqueva é hoje a o maior reservatório artificial de água da Europa. Possui uma altura de 96 m acima da fundação e um comprimento de coroamento de 458 m2 .

Tempo Romano
O templo romano de Évora é um dos monumentos romanos mais importantes de Portugal. Situa-se no ponto mais alto da cidade e foi parte do fórum romano. Pensa-se que foi criado por volta do século I para homenagear o Imperador Augusto, mas mais tarde passou a ser conhecido erradamente por Templo de Diana.

templo evoraÉvora é assim, uma cidade bastante rica em termos de monumentos pré-históricos mas conta também com variadas “assinaturas” romanas, renascentistas e contemporâneas que a tornam uma cidade diversificada e cheia de locais inesquecíveis por descobrir.

Turismo Religioso em Portugal

Turismo Religioso

O turismo religioso em Portugal constitui-se como um importante setor da indústria turística portuguesa, representando internamente quase 50% das atividades e receitas. Igrejas, Mosteiros, Conventos, Capelas e Santuários são algumas das ligações dos devotos e curiosos a este fenómeno de crença no religioso, devotos estes que procuram ativamente visitar os muitos locais sagrados e de culto existentes em Portugal.

Os visitantes deslocam-se para participarem em várias atividades religiosas, tais como arraiais em honra dos santos padroeiros ou simplesmente para verem de perto os monumentos que ao longo do tempo foram associados à religião. Este envolvimento de gentes vindas de outras partes do país contribui cada vez mais para o desenvolvimento do turismo rural, que se expande por um diverso número de operadores turísticos e proporciona assim a introdução de novos destinos para os viajantes.

Como curiosidade, dados recentes mostram que “cerca de 300 a 330 milhões de peregrinos visitam anualmente os locais religiosos mais importantes do mundo”, e em Portugal calcula-se que entre 5 a 6 milhões visitem anualmente Fátima e os seus arredores.

Turismo Religioso Norte

Região Norte
Com uma enorme diversidade de espaços religiosos e culturais, a Região Norte mostra-se em fase de elevado crescimento do turismo religioso. Pode-se encontrar por todo o Norte manisfetações festivas que vão desde as grandes romarias a peregrinações e locais com mosaicos culturais e iconografia específica alusiva à religião.
No Minho existia o famoso Santuário de Nossa Senhora da Peneda que contava com antigos dormitórios onde os peregrinos podiam pernoitar. O Santuário foi transformado num hotel que hoje em dia permite aos turistas experienciarem uma noite no que já foi um antigo local de peregrinação. Podemos encontrar também a Capela de São Bento do Cando, situada no alto do Monte do Cando em Arcos de Valdevez, e nela encontra-se um conjunto singular de elevado valor arquitetónico. Em Trás-os-Montes encontram-se um grande número de santuários, sendo um deles o Santuário de Nossa Senhora Da Assunção que  é considerado o maior Santuário Mariano desta região.
No Douro Litoral deparamo-nos com vários Mosteiros e Santuários, Igrejas e Capelas. Estes monumentos alusivos a uma extrema religião são quase na sua maioria datados entre o século XVII e XIX e possuem uma arquitetura romântica e setencista. No Alto Douro existem várias Capelas que, pela sua antiguidade, possuem uma história única cravada nas suas paredes e objetos. A Sé de Lamego, fundada no ano de 1129, é uma catedral gótica com uma torre quadrada e uma arquitetura de cariz religioso sem igual.

Turismo Religioso Centro

Região Centro

O turismo religioso da Região Centro é fortemente marcado pela simbologia do Santuário de Fátima, fazendo da sua cidade e arredores o principal destino dos peregrinos. De uma outra dimensão, o Caminho Português de Santiago complementa também certas rotas de peregrinação para Fátima.

Na Beira Interior o património Religioso é na sua maioria de origem medieval, com alguns monumentos fundados no século XII que possuem estruturas e uma arquitetura do período proto-gótico. Algumas fachadas são setecentistas, mas em construções primitivas os estilos neo-gótico, maneirista e barroco são facilmente reconhecíveis. A Igreja da Misericórdia de Viseu é um magnífico exemplar da arquitetura religiosa portuguesa “rocaille” e neoclássica. Na Beira Litoral encontra-se um património de cariz religioso envolvido predominantemente por áreas verdes e paisagens deslumbrantes. O Santuário de Nossa Senhora da Encarnação, situado na cidade de Leiria, é um dos mais importantes santuários marianos do centro do país, com características que datam do século XVIII.

Na Sub-região do Oeste encontramos Igrejas, Mosteiros e Santuários com importantes descobertas de tempos antigos realizadas no território nacional e mesmo algumas na vizinha Espanha. O Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça é uma das primeiras fundações monásticas cistercienses edificadas em território português. O Santuário do Senhor do Calvário, em Torres Vedras, tem uma pequena estrutura e um interior decorado com painéis de azulejos figurativos que representam a paixão de Cristo.

Turismo Religioso Sul

Região Sul

A Região Sul permite uma união histórico-artística que caracteriza a identidade cultural e religiosa de um povo. Antigas instituições monásticas e conventuais formaram conjuntos de igrejas e monumentos de cariz religioso que até hoje permanecem em excelente estado de preservação.

A Região de Lisboa tem uma extensa lista de património religioso, com diversas referências a locais antigos que foram preservados, e outros que simplesmente foram sendo adaptados às necessidades da população. A Basílica do Coração de Jesus, ou Basílica da Estrela, foi fundada no século XVIII com duas torres sineiras e tem uma antiga história que envolve a outrora nobreza do local. A Igreja de Santa Engrácia é uma construção do ano de 1568, constituindo-se assim na primeira igreja portuguesa verdadeiramente barroca.
A Península de Setúbal proporciona vistas panorâmicas únicas do seu miradouro e a arquitetura de alguns dos seus edifícios fazem clara referência a eventos históricos religiosos. A Igreja de S. Lourenço, que foi muito provavelmente fundada no século XIII, conta com um interior de uma só nave coberto por um teto de madeira. No Alto Alentejo encontram-se importantes obras arquitetónicas religiosas do século XIV, com interiores revestidos por mármores e famosas figuras dos séculos passados. A Sé Catedral de Évora, também conhecida como Basílica de Nossa Senhora da Assunção, tem uma arquitetura exterior de transição romano-gótica e um interior amplo e belo.

No Baixo Alentejo manifesta-se um diálogo inter-religioso bem evidente, unindo ao longo dos tempos diferentes gerações e tradições religiosas. A Igreja Matriz de Santiago do Cacém, considerada monumento nacional desde 1910, exibe linhas barrocas tardias no seu exterior e as suas naves destacam o movimentado frontão de forte cariz cenográfico. A Região do Algarve tem um significativo património religioso de valor arquitetónico e histórico. Através deste património, uma expansão turística de vertente religiosa tem sido alcançada pelas instituições locais. A Sé Catedral de Silves é um monumento gótico de estéticas vanguardistas com uma grande influência no Mosteiro da Batalha. No seu interior é possível conferir absides em grés vermelho e os bocetes com o escudo real da dinastia de Avis.

Em Portugal existem ainda muitas outras referências a locais e monumentos ligados à religião. As regiões autónomas da Madeira e dos Açores, por exemplo, apresentam também no seu património histórico-religioso um grande número de Igrejas, Capelas e Santuários.

Serras do distrito de Vila Real, Bragança e Aveiro – Série Serras de Portugal

A Serra da Santa Comba tem 1041 metros de altitude e está localizada no Alto Trás-os-Montes, envolvendo os concelhos de Valpaços e Mirandela. Em Valpaços encontra-se um dos mais belos miradouros de Trás-os-Montes, o Miradouro da Santa Comba. Esta região proporciona vistas fantásticas sobre as Serras Transmontanas, exibindo as belezas naturais do local com a sua fauna e flora e também, porque não dizê-lo, um deslumbrante pôr do sol.

A Serra de Santa Comba é muito visitada por quem gosta de aventura e desportos radicais, como o parapente e escalada, permitindo também que provas destas modalidades sejam aqui organizadas.

Alvão

Com 1283 metros de altitude, a Serra do Alvão está situada a Noroeste de Vila Real, no Parque Natural do Alvão. Na localidade é evidente a predominância de xistos e granitos que são separados por afloramentos de quartzitos. Na região da serra encontram-se quedas de água conhecidas como a Cascata de Fisgas do Ermelo, reconhecidas como uma das maiores da Europa.

A sua flora apresenta espécies carnívoras nos terrenos húmidos, tornando este local único pela raridade de tais espécies.

Larouco

A Serra do Larouco localizada no concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, tem uma forma alongada que teria sido devido a um acontecimento morfológico que se extende até terras espanholas. Com uma vegetação própria e reconhecível em toda a sua extensão, a Serra do Larouco apresenta raros cursos de água, assim como também campos trabalhados através da vida agrícola local que está desde há muito ligada a esta região.

No local podem-se encontrar vários rios, rochas típicas da região e espécies da fauna e flora portuguesa. O Rio Cávado é bastante extenso e o seu percurso de 135km leva-nos até ao Oceano Atlântico. O Rio Salas é um rio internacional por nascer em Espanha, no concelho galego de Baltar, e o seu percurso inclui o território do Couto Misto e o antigo castelo da Piconha. O rio Salas desagua no Lima, ainda em Espanha, junto à povoação galega de Lobios.

As Serras localizadas no Distrito do Porto são de uma beleza indescritível pela fauna e flora que aqui se pode encontrar e os seus variados terrenos “acidentados” levam muitos aventureiros a lugares quase inexplorados, repletos de trilhos e outros locais ideais para passeios terrestres.

A Serra da Agrela atinge a altitude máxima de 532 metros no “Alto de São Jorge”. Nesta serra ocorrem muitas atividades sociais e desportivas, como as Caminhadas da Primavera pela Rota dos Moinhos, o Peddy PaPer Fotográfico, BTT, o Rally dos carrinhos de rolamentos, Torneios de Paintball, entre outras.

Nogueira

A Serra da Nogueira tem 1319 metros de altitude e situa-se no concelho de Bragança. Esta serra tem os seus cursos de água, rios e ribeiras como a sua particularidade de beleza natural. Aqui existe uma velha linha ferroviária desativada (Linha do Tua) com vários túneis ao longo do seu percurso, sendo o túnel do Arufe o maior. Fazendo parte do trajeto desta linha encontrará também o Túnel e a Ponte do Remisquedo. Pode-se avistar da serra o maior carvalhal de Portugal e um santuário mariano de invocação a Nossa Senhora da Serra.

Os seus rios são de grande beleza, completando a paisagem natural da região. O Rio Azibo tem no seu percurso a Barragem do Azibo que fica perto de Santa Combinha e vai desaguar no rio Sabor perto de Lagoa, no concelho de Macedo de Cavaleiros. O Rio Fervença, que desagua no rio Sabor a cerca de 480 metros de altitude, é de grande importância para muitas povoações da região pois a sua água é utilizada para regar as plantações que mantêm vivas as principais atividades locais; a agricultura e a pecuária.

A Serra do Arestal está repleta de trilhos e caminhos para diferentes lugares, onde os amantes de BTT e caminhadas poderão aproveitar um excelente dia de atividades. Situada no distrito de Aveiro, tem 830 metros de altura e uma margem voltada para o rio Vouga. Nesta região encontram-se vestígios megalíticos e uma paisagem montanhosa deslumbrante.

As atividades ao ar livre são contempladas por cascatas com um itinerário que demonstra a importância de preservar a Biodiversidade a partir das suas visitas.

Caramulo

A Serra do Caramulo com 1076.57 metros de altitude está situada no distrito de Aveiro e tem nas suas águas de qualidade a principal fonte de riqueza e de atração turística. Devido à tranquilidade serrana aqui encontrada, foram em tempos passados construídos sanatórios, construções estas que foram ao longo do tempo sendo transformadas em hotéis.

O seu panorama é montanhoso e tem origem granítica e xistosa, a sua fauna e flora são bastante exuberantes, assim como a sua água cristalina, e uma vasta vegetação está presente em toda a sua extensão. Na antiguidade foi povoada por romanos que deixaram vários vestígios que ainda hoje podem ser encontrados nos trilhos pedestres.

Os seus percursos oferecem espaços de grande beleza e visibilidade, que vão desde a magnífica vista do mar e da serra da Estrela, ao percurso que segue até às aldeias típicas locais e ao parque eólico. Quase secreto, revela paisagens onde os contrastes se misturam entre rios e mar ou montes e vales.

Serras dos Distritos de Lisboa e Coimbra – Séries Serras de Portugal

Serra de Montejunto

Serra de Montejunto com 666 metros de altitude é tido como o miradouro natural mais alto da Estremadura, com uma estrutura geológica que permite aos amantes da natureza explorarem os seus algares, grutas, lagoas residuais, necrópoles e fósseis pré-históricos. Localiza-se no norte do distrito de Lisboa, entre os concelhos do Cadaval e Alenquer.

O seu clima serrano foi escolhido por monges antigos para a construção de dois conventos que hoje se encontram em ruínas, sendo o mais antigo dominicano datado de Xll e um outro que não chegou a ser terminado. Próximo deles encontram-se as Ermidas da Senhora das Neves, do século XIII e de São João, revestidas de azulejos. Também conhecida como a Serra da Neve e dona de uma extensa beleza natural, a serra com a sua curiosa paisagem, dependendo da época de boa visibilidade, exibe outras construções humanas existentes na região onde estas se juntam com os seus campos esverdeados e ilhas que ficam nos arredores.

Serra de Sintra

Serra de Sintra mede cerca de 10 quilómetros de Leste a Oeste e aproximadamente 5 km de largura, com uma altitude de 529 metros, na Cruz Alta. Também conhecida como Monte da Lua é bastante conhecida pela sua fauna diversificada, as espécies encontradas são: a raposa, a gineta, a toupeira, a salamandra, o falcão peregrino e a víbora.

A região é bastante procurada pelos amantes de escalada e montanhismo, onde as suas excursões são repletas de vegetação única e pela variedade de flora, assim como o clima que tem as suas característica oceânicas. O seu trajeto segue até alguns pontos de grande valia turística, como o Castelo dos Mouros situado no alto de um monte e rodeado pela plantação local, o Palácio da Pena que fica dentro da própria vila de Sintra, o Convento dos Capuchos com as suas histórias antigas, o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio de Monserrate e a Quinta da Regaleira.

Serra do Açor compõe a Cordilheira Central que mantém outras duas serras. Localizada no centro de Portugal em Coimbra e dona de uma grande extensão de terra, é dona de uma beleza única, com cenários perfeitos que englobam trilhos, picos, cascatas entre rios e montes que completam o passeio exibindo partes inexploradas da região. Os seus lugares inexplorados dão espaço para locais de beleza única, como o jardim botânico que se encontra no Santuário de Nossa Senhora das Preces e se situa na abandonada Aldeia do Colcurinho.

Dentro desta serra existem alguns lugares protegidos devido à sua importância ecológica.

A Mata de Margaraça desde anos passados, mantém uma vegetação rara que existe devido às encostas xistosas do centro de Portugal, assim como abriga fungos e briófitos que se alastram pelo chão fazendo parte de outras milhares de espécies.

A Fraga da Pena é o cenário perfeito, tem uma paisagem exuberante rodeada de várias cascatas que resultam num solo fértil para o mantimento de espécies de flora como o carvalho-alvarinho, azereiro, azevinho, castanheiro e aderno.

A Cascata da Fraga da Pena teve origem devido a um acidente geológico, acontecimento que veio enriquecer a região, pois tornou-se num recurso natural de grande valia dentro da Serra do Açor.

Rica na variedade de fauna e flora, a região é dona de trilhos que levam os amantes de atividades terrestres para uma viagem espetacular.

Serra da Lousã integrada no sistema montanhoso luso-espanhol da Meseta, proporciona lugares calmos na natureza livre, sendo mais um desafio para os aventureiros que buscam percursos de paisagem no seu estado puro. As condições ecológicas são propícias para reintrodução de animais, tentando restabelecer os seus habitats naturais.

O seu percurso serrano é a principal linha de conexão com as aldeias próximas, para este deslocamento é necessário recorrer a empresas especializadas.

rabaçal

Serra do Rabaçal tem 532 metros e está localizada na freguesia de Pombalinho, Coimbra e tem este nome devido a uma planta que é tida de grande validade na região, por servir de tempero. Durante o trajeto encontra-se fauna e flora em abundância onde estas se apresentam dependendo da época do ano. Esta serra está ligada a vários vilarejos antigos com uma paisagem rústica.

Serra do Vidual oferece muito espaço para quem deseja fazer uma boa caminhada. Com 1119 metros e situada na freguesia do Cabril, Coimbra, tem uma extensão admirável com espaços que vão de encontro com a tranquilidade da natureza. O seu clima permite passeios prolongados onde se encontra ar puro nas diferentes localidades dentro da serra, assim como as belezas naturais encontradas.

Parque Nacional da Peneda – Gerês – Série Serras de Portugal

Esta série falará sobre as belezas naturais das Serras de Portugal Continental, bem como das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

Situado no nordeste do Minho, o Parque Nacional da Peneda- Gerês, também conhecido como conjunto serrano da Peneda-Gerês, possui todo o seu raro património numa extensão única de serras localizada entre a Serra da Peneda e a Serra do Gerês.

A região é rica em belezas naturais e o seu ecoturismo apresenta as mais diversificadas espécies de fauna e flora que encantam os amantes da natureza e deixam um desejo de ali voltar. Próximo da fronteira espanhola, o Parque é composto por um grande conjunto de serras, montanhas e picos, tal como o Pico da Nervosa que é o ponto mais alto da Serra do Gerês e é considerado o segundo mais elevado de Portugal Continental com altitudes que chegam aos 1.546 metros.

1378907568

A Serra de Soajo, que faz parte do sistema montanhoso da Peneda-Gerês, é umas das mais notáveis de Portugal Continental com 1.416 metros de altitude. Situada no Alto Minho, é revestida por pequenas vilas rústicas que estão interligadas por vários percursos e trilhos que se podem encontrar pela serra.

1378907340

A Serra Amarela, com toda a sua extensão entre a Serra do Gerês e a Serra do Soajo, localiza-se entre os concelhos de Ponte da Barca e Terras de Bouro. Tem este nome devido à sua vegetação, maioritariamente rasteira, ser amarelada. O visitante poderá apreciar os seus locais de tranquilidade serrana, tais como os seus vilarejos ou simplesmente a maravilhosa vista panorâmica a 1.362 metros de altitude.

3

A Serra d’Arga é conhecida por ter origem em afloramentos graníticos que fazem com que as rochas aqui existentes sejam nitidamente reconhecidas como pertencentes a esta serra. Com 825 metros de altitude, a serra está rodeada por oito aldeias onde a preservação do seu património tem sido conseguida com a ajuda dos habitantes e instituições locais.

Autêntica pela sua fauna e flora, a serra também pode ser vista como um museu ao ar livre que guarda lendas e antigas histórias da região.

A Serra do Gerês (em galego, Serra do Xurés) abrange serras e rios que complementam a sua extensão de grande valor natural. Repleta de animais de caça, esta serra tem também uma vasta área protegida para que a fauna e flora mantenham a sua diversidade e o seu destaque como as maiores riquezas aqui encontradas. Com 1.430 metros de altitude, e com um exclusivo acesso através do percurso terrestre, é um local indicado para caminhadas e para a observação de um vasto território que se estende até à Serra do Marão.

1378907185

A Cascata do Arado é de uma beleza única, e o percurso das suas águas limpas e cristalinas atrai os amantes da natureza que o procuram principalmente no verão, onde encontram um local propício a banhos refrescantes de pureza preservada. Localizada junto à aldeia da Ermida, no coração do Parque Nacional, a cascata encontra-se no curso do rio Arado e está rodeada de rochas e vegetação abundante que embelezam ainda mais o lugar.

O acesso à Cascata do Arado é feito através da aldeia da Ermida, por uma estrada florestal, que o leva até à ponte sobre o rio Arado.

1378908099

A Cascata de Leonte é uma queda de água que forma de um lado uma pequena lagoa de águas límpidas, onde os visitantes podem tomar banhos e se envolver com a tranquilidade do lugar. Por estar rodeada de percursos pedestres, esta área chama não só a atenção dos amantes da natureza, mas também dos aventureiros que simplesmente chegam até ao local da Portela do Homem usando os muitos trilhos aqui existentes. Situada perto das Caldas do Gerês, a Cascata de Leonte toma forma devido às águas provenientes do rio Homem, que caem do alto de uma peneda.

1378906601

A Cascata da Laja torna-se deslumbrante por estar num panorama montanhoso, fazendo com que seja mais procurada por quem gosta de caminhadas e trilhos pedestres. Não é um local indicado para banhos de verão, mas a paisagem circundante está repleta de espaços únicos de beleza natural. Situada nas Caldas do Gerês, na freguesia de Vilar de Veiga, esta Cascata tem como seu acesso o famoso percurso pedestre, o Trilho da Preguiça, que se inicia na Portela do Homem.

A Portela do Homem é um passo de montanha rodeado por rochas que complementam a beleza dos seus espaços verdes. Aqui encontra-se um famoso bosque, conhecido como Mata da Albergaria, que tem grande importância na região. Está localizado na fronteira entre Portugal e Espanha e é um dos pontos mais procurados pelos viajantes devido à existência do “Trilho das 6 Pontes”, que se enquadra na magnífica paisagem do local. De referir ainda a existência de uma cascata no rio Homem, a 800 metros de distância.

1378908496