Tag Archives: Alqueva

Escapadinha ao Alqueva

É a maior barragem portuguesa, e também o maior lago artificial da Europa. Falamos da barragem de Alqueva, com 250 km2 de superfície, 83 km de comprimento e 1160 km de perímetro. O local ideal para uma escapadinha de fim-de-semana, e nós, na Toprural, traçamos-lhe um plano.

6ª-feira
Tire o dia de folga e guarde a manhã para si, para acordar tarde e preparar as malas. Almoce e faça-se à estrada. O grande lago abarca áreas dos concelhos de Portel, Moura, Évora e Beja, pelo que para não se sentir perdido, aconselhamos a ida à aldeia da Luz. Esta nova aldeia foi inaugurada em 2002, construída de raiz a cerca de 2 km da antiga povoação, que foi submersa pelas águas da barragem. Ao final do dia aconselhamos uma visita ao centro de Moura, cidade tipicamente alentejana, e onde pode relaxar depois  da viagem e de um dia sob o sol alentejano.

Sugestões de alojamento: Monte do Caneiro, Monte do Colmeal, Pinta Barris.

Sábado
Ao acordar, faça-se à estrada e visite a parede da barragem, junto à aldeia de Alqueva, na ponta Sul. De seguida, faça o percurso rumo ao Norte,  em direcção à cidade de Reguengos de Monsaraz, aproveitando o percurso para parar sempre que quiser para umas belas fotografias do lago. Em Reguengos, prove a típica gastronomia e compre umas quantas garrafas de vinho, que é famoso por esta região.

À tarde, dirija-se à simpática vila de Monsaraz. Situada no topo de um monte, a vila, ‘encaixada’ entre as muralhas do castelo, oferece uma vista sobre o lago, a planície alentejana e Espanha. As suas estreitas ruas, de piso irregular de xisto, revelam surpresas a cada esquina. Detentora também de um castelo, ou não estivesse Monsaraz num topo que se destaca na planície, é o local ideal para observar o pôr-do-sol.

Sugestões de alojamento: Casa Pinto, Monte Saraz, Horta da Coutada.

Domingo
Neste dia, vá até à marina junto à aldeia de Amieira. Ali poderá informar-se acerca do aluguer de barcos, ou, quem sabe, dar logo uma volta de canoa ou caiaque. Você decide. Se não se sentir à vontade, pode ficar junto ao bar a admirar a paisagem que, sabemos, é de cortar a respiração.

Chegada a hora do almoço, e a pensar na volta a casa para essa tarde, sugerimos uma de duas opções: se viver a norte da barragem, faça o caminho até Évora, almoce por lá e não perca, pelo menos, o Templo de Diana; e se viver no Sul, passe por Beja, prove a gastronomia da região, visite o castelo e descanse à sombra, que por terras bejenses o calor impera.