Tag Archives: Douro

Barca d’Alva: caminho de aventureiros no distrito da Guarda

Barca d’Alva pertence ao concelho de Figueira de Castelo Rodrigo e faz parte do Parque Natural do Douro Internacional. Vamos apresentar hoje um roteiro para os mais aventureiros: a travessia de uma linha férrea abandonada. Algo como 17 km de linha férrea e que inclui cerca de 20 túneis e 13 pontes. Se tem vertigens e pavor de morcegos, tenha cuidado!

Foi aqui que, em 1887, se terminou a Linha do Douro e a ligação a La Fregeneda (Espanha), ligação internacional dos caminhos de ferro portugueses que viria a ser perdida com o encerramento da linha em 1985 (o último comboio apitou em 1988). Consequentemente, a estação tornou-se um lugar abandonado… mas não menos digno de visita. Assim, é através da ponte ferroviária Almirante Sarmento Rodrigues que podemos ainda percorrer o último trajecto entre território nacional e espanhol.

Por curiosidade, esta linha foi também cenário da obra literária “A Cidade e as Serras” de Eça de Queiroz: nela viajou a personagem central Jacinto, no seu regresso a Tormes em Trás-os-Montes. Foi (e ainda é) uma verdadeira obra de engenharia que se estende ao longo de 77 quilómetros até alcançar La Fuente de San Esteban, em Espanha.

Alguns lugares de interesse da estação são a plataforma giratória, o velho depósito de água, o gabinete do chefe de estação e as antigas portas do complexo, com as suas legendas escritas na própria pedra.

Esta zona do distrito da Guarda é também um bom lugar para a observação de aves em Portugal, destacando-se o abutre do Egipto e a águia-real, entre outras. E de acordo com a página Aves de Portugal, a Primavera é a melhor época para esta visita.

Assim, se procura um pouco de aventura em Portugal, esta é das melhores experiências que o nosso país tem para oferecer, além de ser uma boa “desculpa” para passear até ao país vizinho.

E no caso de já ter percorrido a linha de Barca d’Alva, partilhe a sua experiência nos comentários abaixo!

A Linha do Douro de Comboio

O caminho percorrido pela linha do Douro é uma daquelas viagens que muitos de nós já fizemos de carro mas que muito poucos fizemos na sua forma original: de comboio!

Foto CC de Nuno Morão - Linha do Douro Comboio

No passado, a linha do Douro possuiu um fantástico caminho ferroviário de 200 Km de longitude.  Atualmente o percurso comercial explorado pela CP é demarcado pela preciosa paisagem do Douro – classificado como Património da Humanidade pela UNESCO (ENG)-  que vai desde a estação da Régua até à estação do Tua. Este percurso é muito conhecido tanto nacional como internacionalmente.

Como já vem sendo habitual, este ano também se efetua tal magnífico passeio que se iniciou no passado dia 30 de Junho e durará até ao próximo dia 13 de Outubro. Realizar-se-á todos os sábados e nos primeiros quatro domingos de Setembro.

O percurso tem uma duração máxima de 1h20 de ida e um pouco mais de regresso. Embora não seja muito tempo, é o suficiente para apreciar a magnífica paisagem e desfrutar de toda a animação a bordo, com cantares regionais ao vivo e oferta de um cálice de vinho do porto e bôla regional.

Se bem que o encanto desta ferrovia é o seu trajeto num comboio a vapor, durante o mês de Agosto, e devido à greve convocada pelo Sindicato Nacional dos Maquinistas, será utilizada uma locomotiva a diesel restaurada com a sua cor original (dias 4, 11, 18 e 25 de Agosto), em vez da locomotiva original a vapor 0186 que foi construída pela Henschel & Son.

Os preços deste passeio variam desde 45€ para aqueles que estão mais próximos do ponto de partida e 80€ para os que estão no Algarve. Se quer comprar bilhete, veja mais na página do comboio histórico da CP.

Para aquelas pessoas que nunca fizeram este trajeto, nem sequer de automóvel, recomendamos que consultem o site da linha do douro onde se descobrem vários pormenores a respeito, mencionando tanto os possíveis passeios como as rotas das amendoeiras e  cerejeiras.

Entre muitas das histórias que aí se encontram, destacamos a de Manuel de Oliveira, o cineasta português mais longevo da história (104 anos!) que produziu o seu primeiro filme baseado nesta rota, na sua versão fluvial. Aqui poderá ver este filme de 1931. E você, tem alguma experiência na linha do Douro para nos contar?! Deixe-nos os seus comentários!

5 rios para conhecer neste verão

Com o verão cada dia mais perto, a vontade de mergulharmos nas águas de Portugal são iminentes. As praias estarão como sempre lotadas, enquanto as alternativas, rios e os lagos, são sempre uma opção agradável para uma viagem familiar com churrasco à beira.

Rio_Douro_Rios_Portugal_Casas_Rurais

Cada um dos rios dos que cá falamos tem uma extensão importante e passam por varios lugares onde é possível alugar uma casa rural, para desfrutar do melhor da natureza e convivir com as espécies em cada um dos seus hábitats. Se vão de férias perto de algum destes rios, lembrem-se de deixar tudo limpinho, como se não tivessem estado aí 😉

Como guia, preparamos uma seleção com casas rurais perto dos principais rios portugueses. Estes rios são 5 e se contam entre os mais importantes das zonas norte, centro e sul de Portugal Continental.

Rio Minho
O Rio Minho está localizado no norte do País, e mesmo que grande parte da sua extensão esteja na Galiza, este pormenor não lhe tira o protagonismo em terras lusas. O seu tramo final percorre Portugal antes de desembocar no Oceano Atlântico. Tem uma extensão total de 310 kms. O rio oferece belas paisagens e contém 45 espécies de peixes, “das quais, 13 têm estatuto de conservação”, segundo o blogue bioterra.
Se quiser conhecer este rio poderá ficar num destes sítios: Vila Nova de CerveiraCaminha, Valença e Melgaço.

Rio Douro
O Douro é um dos mais importantes rios portugueses no norte do país. Conhecido por ser uma zona quase exclusivamente vinícola, tem 927 kms de extensão e corre pela cidade do Porto. No entanto, percorre várias cidades e povoacões do norte.
Se quiser conhecer de perto este show da natureza, poderá ver algum dos alojamentos rurais em Bragança, Guarda, Vila Real, Porto e Aveiro.

Rio Vouga
Um dos rios a nascer em Portugal, na Serra da Lapa. Tem um comprimento de 148 kms. As povoações banhadas pelo rio têm, no geral, um nome com ligação com o rio, por exemplo: Sever do Vouga ou Sernada do Vouga.
Quando vier conhecer o Rio Vouga poderá ficar numa casa rural num destes lugares: Pessegueiro do Vouga, Sernada do Vouga, Sever do Vouga ou Macinhata do Vouga. Para mais resultados pode ainda ver mais casas rurais perto do Rio Vouga.

Rio Tejo
O rio Tejo, é o mais comprido da Península e atravessa a zona centro de Portugal. A dividir o país, o Rio Tejo tem uma extensão de 1.088 kms, dos quais 145 kms percorrem o Alto Alentejo, Ribatejo e Estremadura. É o maior estuário da Europa.
Alguns dos lugares por onde passa este rio são: Portalegre, Santarém e Lisboa

Rio Guadiana
O rio Guadiana cria uma fronteira natural entre Espanha e Portugal. Dos seus 742 kilómetros, 140 estão em território português. A sua importância radica em ser um dos mais grandes reservatórios de Portugal (e da Europa Ocidental). Ao longo da sua história o rio tem sido testemunha de povoações que datam do Paleolítico. Atualmente é habitat de diferentes espécies de aves.

Caso queiram conhecer este majestoso rio, recomendamos que fiquem numa casa rural perto dos seguintes lugares: Alqueva,  Reguengos de Monsaraz, Moura, na Foz de Odeleite e na Vila Real de Santo Antonio.

E tu, vais esperar mais tempo para reservares a tua casa rural perto de algum dos mais importantes rios de Portugal?

Barcos rabelos, Douro e vinhas

O barco rabelo simboliza a força e o sacrifício dos homens do Douro, numa época em que a navegação pela barra do Douro era uma verdadeira odisseia. É o símbolo heráldico da região duriense.

Este é um barco de rio de montanha, com fundo chato, tendo como leme uma peça comprida e grossa em forma de pá ou remo, quase do seu tamanho, a que se dá o nome de espadela. É o tipo de barco apropriado para navegar em águas pouco profundas, sendo de salientar o seu comportamento nas zonas de fortes rápidos. O nome rabelo deriva da configuração do barco, com a sua imensa espadela, em forma de rabo.

É impossível separar, historicamente, a navegação do Douro do comércio a que os ingleses chamariam Port Wine e do seu primeiro meio de transporte, o barco rabelo.

Ao descer o rio, os rabelos traziam o vinho do Douro. Constituíam, no passado, senão o único meio de transporte entre o Porto e as terras de riba-Douro, pelo menos o mais acessível.
Actualmente, com uma actividade diferente, os rabelos são utilizados em regatas, passeios no rio Douro (alguns organizados pela empresa turística Douro Azul) e outras iniciativas para recordar os seus tempos de glória.

Temos assim a oportunidade de percorrer a Região Demarcada do Douro e conhecer as chamadas Rotas do Vinho, que fazem desta região de Portugal um dos pontos mais atractivos para o turismo, podendo assim misturar o Turismo Vitivinicola com o Turismo Rural. Ao longo do percurso poderemos visitar diferentes localidades como Moimenta da Beira e disfrutar da Rota das Vinhas de Cister, Peso da Régua, etc…

Venha conhecer a Região do Douro!

Mais informação:

Douro Turismo

Os barcos rabelos

Itziar Fernández