Visite as nossas florestas neste Outono

Agora que já chegou o Outono, a Toprural sugere-lhe que visite algumas das mais conhecidas florestas nacionais, sejam elas de folha caduca (que no Outono caem), sejam de folha perene (que se mantém durante todo o ano).

Outono | Martin.Heiss

São as árvores de folha caduca que, admitimos, dão um colorido especial às florestas, com as suas folhas castanhas que ornamentam os ramos das árvores e, claro, o chão. As árvores deste tipo ficam sem as folhas para se prepararem para os rigores do Inverno, uma vez que assim perdem menos água pela evaporação.

De qualquer forma, o Outono, com ou sem folha caída, é uma das melhores épocas para visitar as florestas nacionais: não existe ainda o rigor invernoso, nem o “inferno” em que algumas florestas se tornam no Verão.

Pinhal de Leiria

Com mais de 1700 km quadrados, abrange assim diversos concelhos, como Porto de Mós, Alcobaça, Marinha Grande, Batalha, e, claro está, Leiria. Reza a história que terá sido mandado plantar pelo rei D. Dinis. No entanto, há quem afirme que a plantação remonta ao reinado de seu pai, D. Afonso III. A ideia original ao plantar o pinhal, estaria no facto desta mancha verde proteger as terras interiores dos rigores da areia soprada pelo vento. No entanto, alguns anos mais tarde, foi também uma fonte importante de madeira para a construção das naus que partiram à aventura pelo mundo na época dourada dos Descobrimentos. Actualmente encontra neste espaço não só os pinheiros-bravos, mas também outras espécies como urzes, fetos ou rosmaninho. Fique a conhecer mais sobre este pinhal na exposição presente na Galeria Municipal da Marinha Grande.

Floresta Laurissilva

Apesar deste ser um nome dado a um tipo de floresta húmida, que existe em diferentes locais, e é na ilha da Madeira que tem a sua maior presença. Na realidade, e significativo disso mesmo, é o facto de esta floresta ter sido considera pela UNESCO, desde 1999, como Património da Humanidade. Ocupando um área de cerca 15 mil hectares, que representa qualquer coisa como 20% da superfície da ilha, encontra-se principalmente entre os 300 e os 1400 metros da costa Norte, e os 700 e 1600 metros da costa Sul. São frequentes espécies como o loureiro, o vinhático, o til e o barbusano. Aconselhamos alguns percursos sugeridos pela revista ‘Itinerante’, publicação dedicada ao pedestrianismo.

Tapada de Mafra

Como indica o nome, está localizada no concelho de Mafra. Tem, a cercá-la, um muro de 21 km, sendo a entrada paga. No entanto, vale bastante a pena. Foi criada em 1747, aquando da criação do Convento de Mafra, para servir os intuitos caçadores da realeza.  Mas é também  na riqueza da sua flora que se encontra um dos pontos fortes, sendo aqui possível encontrar espécies como o pinheiro-manso e bravo, o sobreiro, o carvalho-lusitano, e o zambujeiro. Saiba mais informações no site da Tapada Nacional de Mafra.

Boas viagens!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *