Author Archives: Julia Souza

As 12 Aldeias Históricas de Portugal

As aldeias históricas conservam as velhas tradições de Portugal e revelam evidências das consecutivas conquistas territoriais à medida que se foi formando o país que hoje conhecemos. Estas aldeias possuem na sua maioria construções de granito e xisto e estão inseridas em regiões de paisagens deslumbrantes com um património histórico sem igual. O percurso que atravessa as aldeias históricas inclui zonas em três áreas naturais protegidas; o Parque Natural da Serra da Estrela, o Parque Natural do Douro Internacional e a Reserva Natural da Serra da Malcata, proporcionando assim uma diversidade de paisagens e vistas panorâmicas.

Muitos foram os povos que as tentaram conquistar e muitos foram os que conseguiram tomá-las e por isso cada uma tem a sua própria história ou até uma lenda para contar. Hoje em dia todas mantêm nas suas pedras a autenticidade do povo português e o orgulho de uma História com 900 anos. As Aldeias Históricas são doze no total e estão localizadas por entre 52 povoações em 17 concelhos da Beira Interior num espaço total de aproximadamente 540 km.

Sortelha

A aldeia de Piódão é conhecida pela sua beleza única que encanta os muitos viajantes que a visitam. Estende-se pela encosta da Serra do Açor sendo necessário percorrer um longo percurso pedestre que atravessa as ruas estreitas entre as suas casas de xisto. Em Linhares da Beira, na Serra da Estrela, destaca-se a arquitetura serrana típica que revela as tradições e a rica história local. Deparamo-nos com um castelo erguido num planalto, uma igreja matriz de origem românica que guarda tábuas atribuídas a Grão Vasco e o centro histórico de Trancoso que está rodeado por muralhas medievais e integra uma Judiaria onde se encontram símbolos hebraicos gravados nas pedras das casas.

Marialva foi uma importante praça militar na Idade Média e por isso possui um castelo que guarda histórias e igrejas que surpreendem pela subtileza dos detalhes. Castelo Rodrigo conserva as ruínas de uma fortaleza que evidencia marcas de batalhas e guerras aqui travadas.  As muralhas da vila de Almeida formam uma estrela de doze pontas e foram construídas no século XVII como uma defesa estratégica na defesa da fronteira, sendo o burgo medieval transformado numa praça-forte. O Castelo Mendo é outra povoação fortificada que preservou os seus traços históricos mais marcantes.

Marialva

De Belmonte partiu Pedro Álvares Cabral que em 1500 descobriu o Brasil. Esta aldeia acolheu muitos dos judeus expulsos de Castela pelos reis católicos nos séculos XV e XVI e ainda hoje mantém-se aqui uma comunidade ativa que frequenta a sinagoga. A 760 metros de altitude, Sortelha está situada sobre um terreno de rochedos escarpados que envolvem a aldeia formando um anel. É um lugar com história e da torre do seu castelo obtêm-se vistas panorâmicas de cortar a respiração.

Na aldeia de Castelo Novo existem fantásticos exemplos de casas senhoriais, sendo de destacar a Casa da Câmara, a Cadeia e o Chafariz de D. João V com uma construção de estilo barroco. Idanha-a-Velha guarda as ruínas de uma outrora magnífica catedral visigótica. Monsanto, que já foi considerada a aldeia “mais portuguesa” de Portugal devido à sua arquitetura peculiar e acima de tudo ao saber receber das suas gentes, tem um galardão que é recordado pelo galo de prata no cimo da Torre de Lucano.

Monsanto

Observação de Aves em Portugal – Birdwatching

Portugal é considerado um destino de excelência na Europa para a observação de aves devido a possuir diversas zonas que estão inseridas no meio de habitats naturais onde se podem avistar cerca de 360 espécies diferentes. As suas áreas protegidas apresentam-se com uma grande atenção ao detalhe para proporcionar ao observador os melhores espaços e as melhores condições para a observação de aves sem afetar o meio natural circundante.

Existem vários praticantes de “birdwatching”, desde iniciantes a observadores experientes, passando também pelos amantes da fotografia. Os roteiros são geralmente realizados por guias pedestres devido aos aspetos da conduta do observador que exigem certas normas para não perturbar os habitats das aves, assim como também às autorizações/licenças necessárias e ao equipamento essencial para uma prática segura.

Flamingos

Entre o Douro e o Minho encontramos nas Lagoas de Bertiandos uma zona de denso bosque de folhosas onde é possível observar aves com tranquilidade. O Estuário do Lima e Veiga de São Simão, ainda entre o Douro e Minho, é um dos locais nacionais mais visitados para a observação de aves, sendo uma área ainda mal explorada com espécies pouco frequentes onde se destacam os patos-reais que aqui se refugiam no inverno.

Na Beira Interior, a Albufeira de Santa Maria de Aguiar situada em terras de Riba Côa é o local ideal para a observação de aves aquáticas, permitindo que os visitantes avistem aves planadoras e alguns pequenos passeriformes. Em Portas de Ródão, também na Beira Interior, o principal interesse ornitológico consiste numa colónia de abutres.

Patos Reais

Em Trás-os-Montes, na região de Pedras Salgadas, existe uma vila dentro do Parque Termal que se torna num fantástico espaço para a observação de diversas espécies de aves. No Litoral Centro, no arquipélago das Berlengas, encontramos colónias de aves marinhas de dimensões consideráveis. Apesar de algumas restrições na ilha, é possível observar certas aves sendo no entanto as gaivotas-argênteas as mais avistadas.

Entre Lisboa e o Vale do Tejo temos a vila de Corroios que possui diversas espécies de aves aquáticas, destacando-se as limícolas. Um dos pontos de melhor observação é o espaço junto ao Moínho da Maré de Corroios onde durante a maré-baixa se avistam várias espécies locais. Em Paul de Boquilobo no distrito de Santarém, existem populações nidificantes de ardeídeos e de patos no inverno.

Abelharuco

No Alentejo, na localidade de Alter do Chão, encontramos extensos terrenos abertos com sobreiros e manchas de água. Nesta zona é comum avistar-se a abetarda que é uma espécie emblemática do Alentejo e uma das mais pesadas aves europeias, sendo bastante difícil de observar. Em Montargil é possível avistar as cinco espécies de andorinhas, existindo na área uma diversidade de aves terrestres e aquáticas. Na Lagoa dos Patos podem ser observadas as maiores concentrações de patos de todo o Baixo Alentejo.

A Ponta da Piedade, na região do Algarve, é um dos poucos lugares onde ainda se pode observar o pombo-das-rochas em estado selvagem. Na Lagoa das Dunas Douradas existe uma vegetação emergente que serve de refúgio a diferentes espécies de aves aquáticas. Ainda no Algarve, o estuário da Ria de Alvor proporciona uma diversidade de habitats constituindo-se  como um ótimo lugar para a observação de aves de estuário e sapais, aves marinhas e aves associadas a campos agrícolas.

Andorinhas Juvenis

A Rota do Românico

No norte de Portugal, junto aos rios Tâmega, Sousa e parte do Douro, é possível encontrar 58 monumentos que se incluem na Rota do Românico. Desta rota fazem parte mosteiros, igrejas, pontes, castelos e torres que partilham a arquitetura românica característica da região. A Rota possui 3 variantes e os seus percursos estão interligados por estradas que seguem os vales dos rios. A Rota do Vale do Tâmega é a maior com 25 monumentos, seguindo-se a Rota do Vale do Sousa que apresenta 19 monumentos, e por sua vez a Rota do Vale do Douro, que se situa aproximadamente entre Castelo de Paiva e Resende, tem incluídos 14 monumentos.

Este legado histórico e artístico evidencia-se por exemplo em portais de igrejas e conjuntos monásticos onde o recurso a temas animalistas, vegetalistas ou geométricos confere aos monumentos uma qualidade escultórica única dentro do românico português. Embora este estilo tenha sido mais usado entre os séc. XI e XIII, verifica-se que estas técnicas construtivas prolongaram-se no tempo quando o estilo gótico já predominava.

São Pedro de Rubiães

O património arquitetónico existente na região do Norte está associado à fundação de Portugal pois aqui residiam as famílias nobres que ajudaram na Reconquista do território. Da mesma forma, o clero e as ordens religiosas que fomentavam a difusão do cristianismo, ajudavam no desenvolvimento e fixação da população portuguesa. Devido à forte influência da igreja católica na formação nacional é possível encontrar igrejas, mosteiros e outros monumentos com caraterísticas arquitetónicas religiosas num espaço geográfico tão reduzido como o Norte.

Na cidade de Felgueiras, no distrito do Porto, deparamo-nos com o Mosteiro de Santa Maria de Pombeiro que tem uma estrutura românica com construções datadas de 1059 e 1102. Nos dias de hoje restam apenas dois absidíolos e o portal principal de quatro arquivoltas. A Igreja de São Vicente de Souza foi remodelada no século XVIII e possui uma arquitetura românica com interiores de estilo barroco. A Igreja de Santa Maria de Airães está localizada no Lugar do Mosteiro, na freguesia de Unhão, e acredita-se que este monumento tenha sido originalmente construído em 1221. A Igreja Velha de São Mamede de Vila Verde, datada de 1220, apesar de se inserir num período gótico, a sua construção e estrutura são de características românicas.

Igreja do Mosteiro de Pombeiro de Ribavizela

A Torre de Vilar do Souza, com cerca de 14 metros de altura, está localizada na Lousada e está ligada à Torre de Menagem sendo um exemplo raro de Residência Senhorial. Constitui-se como uma construção medieval do século XIII e o seu objetivo é transmitir uma imagem de nobreza, poder e glória dos seus proprietários. A Igreja do Salvador de Aveleda apresenta uma arquitetura medieval de formas românicas onde os seus portais laterais sem colunas são um claro sinal de um românico mais recente. A Ponte de Vilela, datada dos séculos XVII-XVIII, foi construída no período de desenvolvimento do Vale do Sousa devido às necessidades crescentes de transporte.

Claustro Igreja de S. Pedro do Mosteiro de Cête

Em Paços de Ferreira encontramos a Igreja de São Pedro de Ferreira, ou Igreja de São Salvador, com uma estrutura firme de influência da idade média e uma impressionante arquitetura do século XII. O Mosteiro de Cete em Paredes foi fundado no século IX mas sofreu uma remodelação quando foi ocupado por membros da Ordem de São Bento até ao século XVI, altura em que D. João III transferiu a titularidade do edifício para o Real Colégio da Graça de Coimbra. O Mosteiro do Paço de Souza em Penafiel foi fundado no século X e serviu de refúgio ao abade Radulfo nas invasões de Almançor.

Igreja do Mosteiro de São Pedro de Ferreira

A Rota do Românico estabelece um excelente roteiro turístico que inclui zonas rurais, espaços históricos e outras marcas de identidade regional tal como a gastronomia, os vinhos, as festas populares e o artesanato local. Sempre em pleno contacto com a natureza encontramos ainda trilhos e percursos pedestres ideais para caminhadas ou passeios de bicicleta que nos permitem explorar o meio circundante.

De referir ainda que a famosa “Rota do Românico” já recebeu inúmeros prémios a nível nacional e internacional.

Turismo Rural no Outono, Estação de Pura Tranquilidade

O outono é uma época repleta de mudanças, cores e paisagens distintas. As temperaturas são ainda agradáveis e o tempo que se faz sentir proporciona a possibilidade de viajar para o campo, montanhas e até mesmo para o litoral. Para os amantes da natureza esta é a estação ideal para caminhadas nos percursos pedestres e passeios de bicicleta e a cavalo por entre os trilhos dos parques naturais e aldeias rurais. Se adora o mar e a tranquilidade aproveite a época do outono para visitar as praias praticamente desertas da costa nacional. Nas noites de outono a sugestão é mesmo desfrutar de um delicioso prato típico da gastronomia portuguesa acompanhado por um bom vinho regional num dos muitos restaurantes acolhedores desse nosso Portugal.

Outono

Escolha um espaço confortável e aconchegante para a sua escapadinha de outono. Em Carralcova, no distrito de Viana do Castelo, existe um conjunto de casas rústicas recuperadas na zona de montanha. Algumas encontram-se isoladas, no entanto com fáceis acessos rodoviários, sendo por isso ideais para o viajante obter tranquilidade e um contacto direto com a natureza. Em Marialva, no distrito da Guarda, encontramos uma série de casas de arquitetura beirã primorosamente reconstruídas. Aqui diversas atividades ocupam os roteiros turísticos dos viajantes, tais como provas de vinho em quintas locais e passeios de barco no rio Douro.

Lago Outono

Na Malveira da Serra em Cascais deparamo-nos com propriedades indicadas para o descanso. No entanto, esta zona oferece ao viajante a possibilidade de praticar vários desportos, tais como o golfe, equitação, ténis, passeios BTT e até surf. De referir que nesta região está situado o Parque Natural Sintra-Cascais. Em Odemira, no Alentejo, as construções locais exibem uma arquitetura tradicional em edifícios renovados que possuem agora equipamentos modernos mas que não esqueceram certas características do passado, tais como as lareiras. Esta famosa região, conhecida como Costa Vicentina, possui uma mistura única com a tranquilidade da serra e a beleza das praias e do mar.

Beira-mar

Em São Roque do Pico nos Açores existem casas típicas de basalto com vista para o oceano e acesso direto às praias e piscinas naturais. Na Madeira as atividades mais procuradas nesta época são a equitação e o golfe, mas encontramos também a possibilidade de participar em atividades relacionadas com a agricultura biológica. De destacar que esta região possui uma gastronomia local fantástica.

Aproveite esta estação para conhecer e participar também nas muitas festividades de outono. Um excelente evento da época, organizado pela Universidade de Aveiro, tem lugar entre 18 de outubro e 22 de novembro na cidade de Aveiro. O calendário festivo inclui concertos e recitais de músicos consagrados em Portugal e no estrangeiro e também de jovens ainda em início de carreira. São muitos os nomes com presença neste evento que é já um marco da Região.

Vinhas Outono

Na época do outono o turismo rural desenvolve e divulga um vasto número de atividades com o intuito de aumentar o fluxo turístico para as zonas rurais. Um bom exemplo é o agro-turismo que proporciona aos viajantes a possibilidade de visitarem e participarem nas mais variadas atividades em campos de cultivo ou até mesmo na agricultura biológica. O eco-turismo visa manter um equilíbrio ecológico promovendo o contacto e a observação da fauna e flora existentes sem perturbação dos habitats e respeitando a ordem ecológica natural. São oportunidades para experienciar um modo de vida único com um absoluto respeito pela Natureza.

Turismo de Saúde – Termas de Portugal

O Turismo de Saúde e bem-estar não se limita apenas à exploração das propriedades de águas minerais com finalidade terapêutica ou à talassoterapia. Esta vertente do Turismo abrange um vasto número de espaços diversificados, tais como spas que utilizam água mineral, termal ou do mar, ou spas que simplesmente usam a água corrente fria ou aquecida combinada com diversos tipos de óleos, algas, lamas e sais minerais. Os turistas procuram também atividades lúdicas e de introspeção para efeitos de saúde, bem-estar e beleza, onde o conceito deste Turismo vai-se associando cada vez mais ao recurso de medicinas alternativas.

O Turismo de Saúde é de facto um produto inovador para um segmento de mercado com grande potencial de crescimento. Reconhecido como estratégico na atração de viajantes, a diversidade e qualidade dos espaços de águas minerais-naturais em Portugal proporcionam investimentos na requalificação e modernização de balneários termais, unidades hoteleiras, restauração e o comércio em geral. A criação de unidades de talassoterapia de vanguarda tem também atuado como um elemento de desenvolvimento das ofertas turísticas.

Termas de Portugal

Termas de Portugal

Os estabelecimentos termais no nosso país têm tido um papel importante nos recentes investimentos efetuados no turismo. Os projetos são inovadores e as unidades e serviços dos espaços termais estão a ser adaptados às necessidades da população atual, desde turistas nacionais como aos oriundos de outros países. O envelhecimento da população nas sociedades ocidentais tem provocado uma maior procura deste serviço pois a preocupação em cuidados de saúde de prevenção, tratamento e reabilitação tem vindo a crescer.

As Termas de Monção, localizadas no Parque das Caldas com vista para o rio Minho, são indicadas para a prevenção e tratamento de doenças do aparelho respiratório, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas. Já as Termas do Gerês estão localizadas na freguesia de Vilar da Veiga no concelho de Terras de Bouro e são indicadas para os termalistas com doenças dos aparelhos circulatório e digestivo e doenças metabólico-endócrinas. As Termas das Caldas da Saúde situam-se na freguesia de Areias em Santo Tirso e têm uma água sulfúrea a uma temperatura de 36º. Estas termas são indicadas para as doenças das vias respiratórias, reumáticas e músculo-esqueléticas. As Termas das Caldas de Chaves brotam das entranhas do vale, são de origem vulcânica e atravessam diversas camadas magmáticas situadas na região do Alto Trás-os-Montes. Pode relaxar nestas águas termais que são indicadas para a prevenção e tratamento de doenças do aparelho digestivo, doenças reumáticas e músculo-esqueléticas.

Termas de Curia

As Termas da Curia, localizadas na freguesia de Tamengos no concelho da Anadia, são de natureza sulfatada cálcica e magnesiana. Estas termas são bastante famosas pois são indicadas para o tratamento de várias doenças; metabólico-endócrinas (gota), cálculos renais e infeções urinárias, hipertensão arterial, doenças reumáticas e musculo-esqueléticas. É uma das mais antigas estâncias termais de Portugal, sendo conhecida desde o tempo da ocupação romana mas que por muito tempo não foi utilizada. As Termas de Monfortinho situam-se na orla da serra de Penha Garcia e têm como referência a cura de males articulares, problemas de pele, doenças do sistema digestivo e hepático e também problemas no sistema reprodutor feminino. As Termas do Cró situam-se na freguesia da Rapoula do Côa no Concelho do Sabugal, Distrito da Guarda, e as suas águas medicinais poderão ter sido usadas desde a época da ocupação romana pois foram encontrados na região alguns indícios do período romano (cerâmicas de construção e moedas). As águas são mineralizadas com uma reação muito alcalina, ajudando nas perturbações músculo-esqueléticas e reumáticas, aparelho respiratório e patologias dermatológicas.

Termas da Curia

As estâncias termais são mais do que lugares para idosos, estão preparadas para receber termalistas de todas as idades que pretendam prevenir e também tratar certas doenças crónicas. Em Portugal existem dezenas de estâncias termais assim como outros subprodutos que de certa forma estão relacionados com o Turismo de Saúde; Talassoterapia, SPAs, Health & Wellness Resorts e Residências Assistidas, todos funcionando com o devido apoio médico e cuidados de saúde.