Malcata e o lince ibérico

Segundo o Secretário de Estado do Ambiente, Humberto Rosa, a Serra da Malcata reunirá brevemente as condições necessárias para um centro experimental de reintrodução do lince ibérico.

Aparentemente não existem mais do que uma centena de linces em toda a Península Ibérica, chegando a Quercus a declarar durante o ano passado, que o lince ibérico estava extinto em Portugal subsistindo apenas em algumas regiões da Andaluzia em Espanha, pelo que se torna tão importante esta iniciativa.

Lince Ibérico

Mas antes de reintroduzir o lince ibérico na Malcata, existem algumas preocupações a ter em conta como a população do coelho bravo, que é a base da alimentação desta espécie em risco crítico de extinção e é por isso considerado imperativo o acompanhamento do coelho.O declínio da população do coelho bravo é apontado como uma das principais razões para a quase extinção desta espécie.

Está previsto que serão introduzidos os primeiros exemplares do lince ibérico em 2012, estando também pensada a criação de um banco de recursos biológicos que preserve a diversidade de material genético do lince.

O que pensa desta medida? Acredita que pode trazer bons resultados?

Miguel Almeida

One thought on “Malcata e o lince ibérico

  1. maria coxo

    Posso gabar-me de ter visto um lince na serra da Malcata, aquando da florestação da Portucel! Passou veloz e tão altivo e não fossem as antenas/pincéis na cabeça e eu não saberia dizer se era um grande gato ou um pequenino tigre. A verdade é que essa visão mexeu comigo e nesse momento senti-me responsável pela sua extinção.
    Saber que a Serra da Malcata pode vir a realojar o lince ibérico dá-me um panorama mais optimista, mas a verdade é que não tenho a certeza de que o seu habitat esteja pronto para o receber. As colónias de coelhos bravos, foram dizimadas fundamentalmente, pela doença hemorragica viral.
    Depois, sempre ouvi os engenheiros agrónomos dizer, que uma mata de pinheiros, atinge idade de corte por volta dos 30 anos. Feitas as minhas contas as matas estão atingir essa idade. Logo que se inicie o corte da floresta volta novamente o reboliço àquele espaço e se, por milagre, lá houver algum lince, com toda a certeza que desertará para lugares mais calmos. Por esta razão acredito que a sua integração só se deveria fazer depois do abate da floresta quando as áreas que foram alteradas se pudessem renovar e albergar toda a fauna e flora característica da serra.
    É fundamental recuperar o habitat do lince ibérico salvaguardando todas as características favoráveis à sua preservação, que além das condições atrás mencionadas passariam também por programas de sensibilização de todos os residentes, principalmente do grupo de caçadores se bem que eles, neste momento, estão mais virados para a caça do javali do que para o coelho ou lince.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *