Portugal atento ao desenvolvimento sustentável

Desenvolvimento sustentável é um termo que entrou há relativamente pouco tempo no léxico mundial. Em Portugal também, mas parece que estamos no bom caminho no reconhecimento desta via, como indica um recente estudo da Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN). Ainda assim, há que melhorar em alguns aspectos. A Toprural conta-lhe tudo.

Essencial deixar um planeta melhor aos nossos filhos

Segundo o relatório Brundtland, o conceito mais utilizado para definir desenvolvimento sustentável é o seguinte: “O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades, significa possibilitar que as pessoas, agora e no futuro, atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social e económico e de realização humana e cultural, fazendo, ao mesmo tempo, um uso razoável dos recursos da terra e preservando as espécies e os habitats naturais”.

O estudo da Associação Portuguesa de Anunciantes, intitulado “Opinião Pública e Sustentabilidade em Portugal”, vai já na sua terceira edição (a primeira em 2007 e o segundo em 2009). E conclui-se que 90% dos inquiridos afirmam ter alguma ou muita consciência sobre o desenvolvimento sustentável.

Ainda assim, apesar do conhecimento, metade dos inquiridos refere ainda que há pouca consciência sobre isso, situação a que a atual crise poderá ter efeito, uma vez que faz com que o tema perca importância, tanto nos cidadãos como nas empresas, relegando o desenvolvimento sustentável para fora das prioridades de atuação.

No topo da classificação dos comportamentos pessoais sustentáveis encontra-se o “poupar água e luz” (57%) e fazer a “separação do lixo” (52%).

Mas, referimos nós, existem muitas outras medidas que podem ser implementadas, a nível pessoal, para um desenvolvimento sustentável:

  • Poupar água no banho; fechar as torneiras ao lavar os dentes; colocar um volume dentro do autoclismo para este se encher com menos água. Tudo isto permite poupar esse valoroso e necessário recurso natural.
  • Desligar as luzes de salas onde não é necessário; tirar os aparelhos do standby, desligando-os; e se possível instalar painéis solares ou outras formas alternativas de utilizas de energia. Poupar energia é também desenvolver.
  • Reutilize os seus sacos nas compras; de preferência adquira produtos nacionais, uma vez que requerem menos meios de transporte e, consequentemente, o seu transporte polui menos.

Todas as medidas em cima são de preservação do meio ambiente, um dos pilares essenciais no desenvolvimento sustentável. De resto, esta assenta em três factores: a sustentabilidade ambiental, sustentabilidade económica e sustentabilidade sócio-política. É assim, e resumindo, uma forma de evoluir enquanto sociedade justa, com esforço para que todos se sintam incluídos e participem na sua evolução, mantendo as circunstâncias de vida atuais, e tentando deixar um mundo melhor para os nossos filhos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *