Preservar o lince-ibérico

Único no mundo, o lince-ibérico está classificado como estando em perigo crítico de extinção na Península Ibérica, com apenas, calcula-se, 100 animais em liberdade. É já considerado extinto em Portugal, e aqui na Toprural lançamos o alerta: é preciso parar a destruição do habitat deste animal único.

Com o nome científico de Lynx pardinus, o lince-ibérico tem uma pelagem castanho-avermelhada, coberta de manchas pretas que podem ser desde pequenos pontos a riscas. Com uma pequena cauda, ‘pincéis’ na ponta das orelhas, tem um peso médio entre os 9 kg (fêmeas) e os 12 kg (machos). A sua alimentação assenta essencialmente em coelhos, mas caça também outros pequenos mamíferos. Habitam em bosques, matagais ou matos densos, sendo bastante furtivos e de difícil detecção.

A manutenção das condições essenciais para a sua sobrevivência é essencial. A caça excessiva dos coelhos-bravos é um dos principais pontos negativos e que faz com que o animal já não esteja presente em território nacional. Ainda pior do que destruir o habitat é matar mesmo o animal e recentemente foi encontrado mais um animal morto.

Mas tanto Espanha como Portugal estão a desenvolver esforços para a reprodução dos animais em cativeiro, e posterior introdução na natureza. Em território luso encontra-se o Centro Nacional de Reprodução do Lince-Ibérico, na zona de Silves, mas numa localização que se quer desconhecida aos curiosos. Isto porque os animais precisam de toda a tranquilidade e o mínimo contacto com o ser humano possível, de forma a ser mais fácil a sua introdução no meio selvagem.

A importância da conservação será o tema do 1.º Seminário do Lince-Ibérico em Portugal, a decorrer na Universidade do Algarve, em Faro, dias 28 e 29 de Outubro. É dirigido não só a investigadores, mas a todos os interessados na temática do ambiente.

A caça ilegal, os atropelamentos, a caça intensiva do principal alimento (os coelhos), a destruição do habitat e a utilização de armadilhas são as ‘armas’ que têm dizimado uma população que já não existe em Portugal. Vamos, juntos, mudar mentalidades e, estamos certos, o lince-ibérico será novamente um animal livre e não criado apenas em centro de recuperação.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *