Tag Archives: Ano Internacional

Visite o Parque Natural do Tejo Internacional

Propomos, desta vez, a visita a um dos nossos parques naturais, neste caso  o Parque Natural do Tejo Internacional. Esta é mais uma sugestão da Toprural no âmbito deste que é o Ano Internacional das Florestas.

Azinheira, uma das espécies mais frequente no Parque | Foto de Fritz Geller-Grimm
Situado na zona Este do território português, abrange os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova e Vila Velha de Ródão, faz fronteira com Espanha, sendo que no outro lado encontra o Parque Natural Tajo Internacional. Ocupa uma área de mais de 26 mil hectares e como o nome deixa adivinhar, é dominado pelo rio Tejo em toda a sua extensão.

No que diz respeito às espécies de fauna presentes, destaque para os azinheiras, sobreiros e carvalhos em algumas zonas junto ao rio. Já no que respeitante às espécies animais, destaque para o facto de este ser um dos raros locais onde ainda é possível observar cegonhas-negras. Por aqui são usuais espécies como a águia-de-Bonelli, águia-real e abutre-do-Egito, sendo esta uma importante zona de nidificação. Já no campo dos mamíferos, o destaque vai para a lontra-europeia e o veado-vermelho.

Zona onde imperam as paisagens de cortar  a respiração, quase que isso bastava para aconselhar a visitar. Ainda assim, se quiser descobrir um pouco mais, como os dólmens que existem na região, pode sempre considerar os percursos aconselhados pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade.

Boa viagem!

Descanse no Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina

O nome é comprido, tal como o seu território. O Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina estende-se desde a ribeira da Junqueira, em São Torpes, no Alentejo, até à praia de Burgau, já na costa Sul do Algarve. Mais uma sugestão da Toprural, assinalando este que é o Ano Internacional das Florestas.

Sobreiro, uma das espécies em maior número no Parque | Foto de TrarothCom uma extensão de 110 km, este Parque Natural ocupa mais de 55 mil hectares, englobando muitas das emblemáticas praias alentejanas e algarvias, como Porto Covo, Zambujeira do Mar, Vila Nova de Mil Fontes, e Odeceixe. Demonstrativo do facto deste ser um Parque extenso está no facto de atravessar quatro concelhos: Sines, Odemira, Aljezur, e Vila do Bispo.

Neste Parque poderá  encontrar espécies da flora como o característico sobreiro, carvalho cerquinhomedronheiro, eucalipto e pinheiro-bravo. No que diz respeito a animais, encontra espécies como a águia-pesqueira e a águia-de-Bonelli, o falcão-peregrino e a cegonha-branca que nidifica em árvores, prédios velhos ou mesmo em postes de electricidade, numa rara situação em todo o mundo. Raro é também o facto de algumas lontras que por aqui habitam utilizam o mar para as suas pescarias. A estas fazem ‘companhia’ animais como os texugos, sacarrabos, fuínhas, javalis e raposas.

Se este Parque se estende da costa alentejana à costa algarvia, encontrará na sua divisão aquele que o ponto mais ocidental da Europa continentel: o cabo de São Vicente, na região de Sagres.

Boa Viagem!

Visita ao Parque Natural do Alvão

Estamos no Ano Internacional das Florestas, por isso na Toprural pensámos em aconselhar-lhe a visita a locais onde as florestas e a Natureza imperam. Como o Parque Natural do Alvão, no norte de Portugal.

Parque Natural do Alvão | Foto de Husond

Instituído em 1983, e situado entre concelhos de Mondim de Basto e Vila Real, este parque tem uma área de 7220 hectares, sendo na sua essência dominado pelo maciço granítico do Alvão. Ainda assim, existe bastante espaço para a proliferação da flora local, com a predominância de carvalhos, mas também se reporta a existência de vidoeiros, aveleira, azevinho, castanheiro loureiro. Raras são já as rorelas (Drosera rotundifolia), plantas carnívoras, normalmente localizadas junto a cursos de água.

Onde há flora, há fauna. E aqui não é excepção. Neste parque natural pode encontrar espécies como a águia-real (apesar de já estar quase extinta), o falcão-peregrino, o lobo e o gato-bravo, entre outros. Nos cursos de água, com o rio Olo, as probabilidades de encontrar truta-marisca são também bastante elevadas.

Para melhor conhecer o parque pode realizar um dos percursos sugeridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, sejam eles pedestres ou de automóvel.

Entre algumas sugestões de visitas encontramos a queda de água das Fisgas de Ermelo, a povoação de Ermelo, de Lamas de Olo e a aldeia do Barreiro, as barragens Cimeira e Fundeira, bem como a ribeira de Arnal.

Como já referimos, 2011 é o Ano Internacional das Florestas, e a efeméride não pode passar em branco no parque. Assim, até 31 de Julho, são inúmeras as actividades, organizadas em conjunto com as câmaras municipais e escolas da zona, e que incluem plantação de árvores e exposições. Mais informações podem ser obtidas através do contacto da direcção do Parque Natural do Alvão pelo telefone 259 302 830.

Para que a sua experiência seja algo para realmente recordar, só falta ficar alojado numa das nossas casas rurais. Facilitamos-lhe a procura, e fique aqui com uma selecção:

Boa viagem!

2011 é o Ano Internacional das Florestas

Temos, na Toprural, uma preocupação constante com o meio ambiente. E por isso não podemos deixar ‘escapar’ este importante facto na preservação do nosso mundo: 2011 é o Ano Internacional das Florestas (inglês).

O objectivo ao implementar este dia é o de, segundo comunicado do Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, «mobilizar a comunidade mundial para assegurar que as florestas são geridas de modo sustentável para as gerações actuais e futuras».

E a importância das florestas é bem real: ocupam cerca de 30% da superfície terrestre, sendo o habitat de 80% de toda a biodiversidade. Além disso, servem de abrigo para cerca de 300 milhões de pessoas em todo o mundo, garantindo a sobrevivência directa para 1,6 mil milhões de pessoas.

Em Portugal, e segundo o 5.º Inventário Florestal Nacional, da responsabilidade da Autoridade Florestal Nacional cujos resultados foram apresentados em Setembro de 2010, a floresta ocupa quase 3,5 milhões de hectares, ou seja, 39% do território. De referir que a agricultura ocupa cerca de 33% e os matos 22%.

Segundo o mesmo inventário, esta é a distribuição das espécies florestais no território nacional:

  • Pinheiro-bravo – 27%
  • Sobreiro – 23%
  • Eucaliptos – 23%
  • Azinheira – 13%
  • Carvalhos – 5%
  • Pinheiro-manso – 4%
  • Outras folhosas – 3%
  • Outras resinosas – 1%
  • Castanheiro – 1%
  • Acácia – 0,1%

Boas notícias é o facto de, em território nacional, a ocupação florestal ter registado um ligeiro crescimento na década de 1995-2005: 3%.

Instituído pela Organização das Nações Unidas, este será assim um ano cujas comemorações, em Portugal, contarão com a dinamização da Comissão Nacional da UNESCO, em articulação com a Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural. Previstos estão, pelo menos, cinco grandes eventos, como referiu, à agência Lusa, Rui Barreiro, secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento. Ainda não existem pormenores sobre esses eventos.