Tag Archives: Roteiros

Castelos, lendas e muito mais…

Portugal, com os seus castelos e lugares recônditos, é um país carregado de lendas…
Sempre lugar para curiosos propomos aqui alguns desses lugares, que bem pela arte arquitectónica como pela riqueza cultural da zona onde nasceram as lendas, sugerem uma visita e até um fim-de-semana rural de lenda com histórias de amor incluidas…

O Castelo de Bragança: Conta a lenda que uma princesa órfã vivia ali com o seu tio. Ela apaixonou-se por um nobre e valoroso cavaleiro, porém carente de recursos. O jovem partiu em busca de fortuna, promentendo retornar apenas quando se achasse digno de pedir-lhe a mão. O seu tio, anos depois, prometeu-a a um amigo, mas a jovem confessou-lhe que o seu coração pertencia a outro homem. A revelação enfureceu o tio, que decidiu aumentar a coerção por meio um estratagema: nessa noite, disfarçou-se simulando ser o fantasma do jovem ausente e, penetrando nos aposentos da princesa, afirmou-lhe com voz lúgubre, que ela estava condenada à danação, caso não aceitasse casar-se com o novo pretendente. Prestes a obter um juramento por parte da princesa, milagrosamente, apesar de ser noite, um raio de sol penetrou nos aposentos, desmascarando o tio impostor. Daí em diante, a princesa passou a viver recolhida na torre que hoje leva o seu nome.

O Castelo de Moura : A lenda remonta ao tempo da Reconquista, tendo por testemunho a antiga torre junto do atual Jardim Dr. Santiago e perpetuada no brasão de armas da vila.
A bela Salúquia era filha do governador muçulmano da região, e estava noiva de um jovem que era o alcaide do castelo. Dia após dia, aguardava ansiosamente a chegada do seu noivo, que partira para combater os cristãos. Estes, porém, avançando à conquista da povoação fizeram uma emboscada ao jovem mouro e mataram-no. Vestiram os seus trajes e com este ardil conseguiram que lhes abrissem as portas do castelo. Percebendo o embuste, a bela moura Salúquia, preferindo a morte a ser escrava e cativa dos cristãos, atirou-se da torre, acompanhando na morte o amado. E assim se explica a origem do nome Moura, no distrito de Beja.

Boca do Inferno: Há muito tempo atrás, existia num local, hoje chamado Cascais, um castelo onde vivia um terrível feiticeiro. Um dia, ele decidiu casar-se e escolheu para noiva a mais bela mulher das redondezas.
Quando a trouxeram até si, ficou cheio de ciúme impressionado pela sua beleza e decidiu fechá-la numa torre alta. O guardião decidiu um dia subir até à torre e quando abriu a porta, ficou fascinado com tamanha formosura. Nasceu dali um grande amor e fugiam juntos a cavalo.
O feiticeiro, cheio de raiva, criou uma tal tempestade que fez com que os rochedos por onde os namorados caminhavam se abrissem, como uma enorme boca infernal, que os engoliu para sempre. O buraco nunca mais fechou e começou a chamar-se, popularmente, a Boca do Inferno.

Se conhece alguma lenda que queira partilhar…escreva-nos!

Mais informações: Lendas de Portugal (Wikipédia)

Itziar Fernández

Dois roteiros pela região de Aveiro

Em Aveiro podemos encontrar múltiples roteiros a percorrer. Apresentamos aqui duas opções que podem fazer as suas férias mais interessantes!!

Serras do Interior

Ao longo deste percurso poderemos descobrir o encanto das paragens do interior da região. Por entre serras e vales, convidamo-lo a conhecer as aldeias antigas, com a sua ainda conservada atmosfera típica de gentes humildes, campos em socalcos e ambiente acolhedor. Este percurso começa no Monte da Nossa Senhora do Socorro em Albergaria-a-Velha, a cerca de 20 Km de Aveiro, cuja história peculiar remonta ao século XIX.

De seguida, tomamos a estrada de ligação a Sever do Vouga, um caminho por entre a serra, que o levará a acompanhar o Rio Vouga. Neste ponto existe a possibilidade de praticar canoagem; o resto do percurso leva-o a uma das aldeias mais pitorescas da região, a Lomba e a inúmeros monumentos de interesse histórico.

A duração prevista para realizar este percurso é de 2 dias, sendo uma distância aproximada de 195 Km.
Tipo de Transporte: Automóvel

Rota da Montanha

* Aconselhamos o uso de veículo todo-o-terreno para o acesso a Drave

Neste itinerário, convidamo-lo a descobrir a zona mais setentrional da Região. Uma paisagem imponente e bela, marcada pelo recorte das montanhas e vales. Sugerimos começar o passeio em Castelo de Paiva. Nesta terra, atravessada pelos rios Paiva e Arda, o visitante terá a possibilidade de práticar canoagem ou uma boa pescaria da Truta, Lampreia ou Barbo.

Seguimos em direcção a sul em direcção a Arouca, uma terra antiquíssima, com um extenso vale abraçado pelas serras da Freita, de Montemuro e pelo monte da Srª da Mó. Este é um itinerário rico em património histórico construído, desde os monumentos megalíticos até à sumptuosidade do Mosteiro de Arouca.

A duração prevista para realizar este percurso é de 2 dias, sendo uma distância aproximada de 220 Km.
Tipo de Transporte: Automóvel

Disfrute da natureza, disfrute Aveiro!

Itziar Fernández